Cobras insufladas até à morte para artigos “de luxo” numa nova e chocante exposição da PETA

 

Cobras insufladas até à morte para artigos “de luxo” numa nova e chocante exposição da PETA

LVMH alvo de campanha para acabar com a venda de peles exóticas

Lisboa – Uma nova investigação da PETA Ásia a uma quinta no Vietname que fornece peles de cobra para uso na indústria global de peles revela crueldades horríveis contra as cobras, incluindo a selagem das suas bocas e ânus com elásticos e a insuflagem até à morte com um compressor do ar, o que lhes esmaga o coração e causa dores excruciantes. Em resposta a estas descobertas, a PETA apela à LVMH que deixe de beneficiar da morte das cobras e termine a venda de peles exóticas.

Imagens de vídeo da PETA Ásia mostram a cauda duma cobra a mover-se durante a insuflagem letal, indicando que as pitões poderão estar ainda vivas enquanto os trabalhadores arrancam a sua pele e lhes retiram as entranhas. O investigador não viu ninguém a verificar os sinais vitais antes de começar a carnificina. As cobras eram mantidas em jaulas de arame apertadas e sujas, sem água, comida ou estímulos. Após descobrir que muitas tinham ácaros, o investigador da PETA Ásia inquiriu acerca de tratamento veterinário, e um trabalhador respondeu, “Para quê [tratar as cobras]? Esfolamo-las na mesma.”

“Em vez de explorar selvas luxuriantes e pântanos e experimentar todos os prazeres sensoriais com os quais estão tão profundamente sintonizadas, as cobras usadas pela sua pele são mantidas em jaulas imundas, enchidas como balões e até esfoladas vivas,” diz a diretora da PETA Elisa Allen. “A PETA apela a todos que rejeitem esta crueldade horrível recusando-se a comprar qualquer item feito de pele exótica.”

 

A PETA Ásia também obteve recentemente novas imagens de vídeo de um criador demonstrando o abate de crocodilos, mostrando animais com as bocas amarradas e enrolados em sacos sem se conseguirem mexer. Um trabalhador passou por cima deles e atordoou-os grosseiramente, e depois outros trabalhadores apunhalaram-os com uma lâmina de metal. Não obstante as tentativas de os atordoar, foram vistos a mexerem-se enquanto os trabalhadores os tentavam matar.

A PETA Ásia e os seus afiliados – cujo lema diz, em parte, que “os animais não nos pertencem para vestir” e que se opõem ao especismo, uma visão do mundo de supremacia humana – expuseram a crueldade nas quintas de répteis em três continentes (África, Ásia e América do Norte) e demonstraram todas as vezes que estes animais inteligentes e sensíveis suportam cativeiro em condições miseráveis e uma morte violenta.

Em anos recentes numerosos designers de topo – incluindo Chanel, Tommy Hilfiger, HUGO BOSS, Victoria Beckham e Mulberry – baniram as peles exóticas, e a PETA apela à LVMH que faça o mesmo.

Para mais informação, por favor visite PETA.org.uk ou siga o grupo no FacebookTwitter ou Instagram.

Contacto:

Sascha Camilli +44 (0) 20 7923 6344; [email protected]

#