Joaquin Phoenix É A ‘Pessoa Do Ano’ Da PETA Em 2019

 

Para publicação imediata:

4 de dezembro de 2019

Contacto:

Sascha Camilli +44 (0) 20 7923 6244; [email protected]

JOAQUIN PHOENIX É A ‘PESSOA DO ANO’ DA PETA EM 2019

O candidato aos Óscares vence por colocar em primeiro plano os animais em sofrimento

Lisboa – Ninguém abala a dedicação de Joaquin Phoenix para com os direitos dos animais – uma das razões pelas quais a estrela de Joker foi nomeada a Pessoa do Ano da PETA em 2019. Vegan desde os 3 anos, quando viu um peixe ser capturado e morto, Phoenix junta-se a galardoados anteriores, tais como Ricky GervaisPamela Anderson e o falecido Sir Roger Moore.

Só no ano passado, Phoenix apareceu nos outdoors “Somos todos animais” da PETA EUA em Times Square em Nova York e em Sunset Boulevard em Los Angeles, juntou-se a legisladores da Califórnia para anunciar legislação que proíbe circos itinerantes de animais selvagens e acariciou uma galinha morta enquanto dirigia uma cerimónia de homenagem na Marcha do Dia Nacional dos Direitos dos Animais em Hollywood. Ele é o produtor executivo de The Animal People, um documentário que segue ativistas dos direitos dos animais que foram reprimidos por poderosos interesses da indústria. E ele confortou porcos, dando-lhes água a beber na última paragem antes de entrarem num matadouro em Los Angeles. “Não quero causar dor a outra criatura viva e empática”, explicou ele durante a sua digressão publicitária de Joker. “Não lhes quero tirar os bebés. Não quero que sejam confinados e engordados apenas para serem abatidos. É absurdo e bárbaro.”

“Joaquin Phoenix nunca perde uma oportunidade para desviar as atenções que recaem sobre ele e focalizá-las no sofrimento dos animais e dar um ótimo exemplo do que significa ser vegan”, diz Ingrid Newkirk, fundadora da PETA. “A PETA orgulha-se de iniciar a temporada de prémios homenageando a sua dedicação em mostrar a todos que, quando se trata de sentir medo, dor e amor, um ser humano não é diferente de uma galinha ou um hamster.”

Phoenix narrou o inovador documentário sobre os direitos dos animais Earthlings em 2005 e galardoou o diretor, Shaun Monson, com o primeiro Prémio Humanitário River Phoenix na Gala do 35º Aniversário da PETA EUA em 2015. Ele produziu o documentário pró-vegan What the Health em 2017 e foi um dos narradores da denúncia da agropecuária Dominion em 2018. A sua parceria de décadas com a PETA e as suas afiliadas internacionais inclui campanhas contra as indústrias de  (2016), pele de cão (2015), peles exóticas (2010), pesca (2013) e peru (1998), entre outras.

A PETA – cujo lema dita, “Os animais não são nossos para que os possamos usar em experiências, comer, vestir, usar para entretenimento ou abusar de qualquer outra maneira” – opõe-se ao especismo, que é uma visão do mundo de supremacia humana.

Para informações adicionais, por favor, aceda a PETA.org.uk.

 

#