PAMELA ANDERSON: PERSONALIDADE DO ANO 2016 DA PETA

 

Para publicação imediata:

29 de dezembro de 2016

Contacto:

Sascha Camilli +44 (0) 20 7837 6327, ext. 235; [email protected]

PAMELA ANDERSON: PERSONALIDADE DO ANO 2016 DA PETA

Beleza loira reconhecida por promover durante um ano a bondade para com os animais em todo o mundo

 Lisboa – Pamela Anderson tem feito maravilhas ao redirecionar o interesse que os meios de comunicação têm nela para as questões importantes relacionadas com os direitos dos animais. Desde participar num poster em favor da alimentação vegetariana a falar contra os circos que utilizam animais, passando por pedir a proibição do cruel foie gas, esta estrela adorada tem sido uma tour de force no movimento de proteção dos animais. É por este motivo que a PETA nomeou Pamela Anderson como a Personalidade do Ano 2016: um título que em anos anteriores foi concedido a Morrissey, Ricky Gervais e o Papa Francisco.

“A defesa dos animais de Pamela ajuda a abrir os olhos, os corações e as mentes”, afirma a diretora executiva da PETA, Ingrid E. Newkirk. “Os animais que necessitam desesperadamente de ajuda têm na Pamela uma bonita amiga e estamos gratos por ela aproveitar todas as oportunidades para explicar o motivo pelo qual, tal como o nosso lema indica, ‘os animais não são nossos para comermos, vestir, realizar experiências, utilizar como entretenimento ou abusar de qualquer outra forma’.”

Há algumas semanas, Pamela Anderson entregou em mão uma forte petição com 180.000 assinaturas ao Alto Comissariado das Maurícias, incitando à implementação de um programa de castração ou de esterilização para abordar o problema dos cães vadios. No início de outubro, ela incitou a Primeira-Ministra Britânica, Theresa May, a apresentar legislação que banisse circos com animais selvagens, escrevendo: “O Brexit é complicado mas dizer adeus a atuações em circos com animais é incrivelmente fácil”.

E ainda não é tudo: no início deste ano, Pamela incitou a Assembleia Nacional Francesa a banir o foie gras; solicitou ao governo canadiano que a ajudasse a salvar as focas; ofereceu-se para cozinhar refeições vegetarianas para os prisioneiros no Louisiana; incitou as mulheres a deixarem se usar pele verdadeira (afirmando numa conferência de imprensa na Rússia: “Vestir pele verdadeira é antiquado e aborrecido”) e adicionou novos sapatos à sua coleção de sapatos vegan, provando que a compaixão e a moda andam de mãos dadas.

Fotos da defesa animal da Pamela estão disponíveis aqui, aqui e aqui. Para mais informações, por favor, visite PETA.org.uk.

 

#