Sephora proíbe pestanas de pelo animal após ação da PETA

 

Para publicação imediata:

2 de julho de 2020

Contacto:

Sascha Camilli +44 (0) 20 7923 6244; [email protected]

Sephora proíbe pestanas de pelo animal após ação da PETA

A maior perfumaria a nível mundial toma medidas para evitar que os sensíveis visons sejam enjaulados, mortos e esfolados

Lisboa – Após uma campanha da PETA e e-mails de mais de 280.000 clientes preocupados, a Sephora confirmou que proibiu as pestanas de pelo de vison e que comprará apenas pestanas sintéticas ou de pelo artificial doravante. A título de agradecimento, a PETA EUA vai enviar uma caixa de deliciosos chocolates vegan à empresa. 

“Não há diferença entre um casaco de vison e pestanas de vison no que toca ao sofrimento animal”, diz a diretora da PETA, Elisa Allen. “A PETA saúda a decisão da Sephora de se juntar à Too Faced, ao Urban Decay e às dezenas de outras marcas que percebem que o roubo do pelo animal não tem nada de bonito.”

O pelo de vison provém geralmente de explorações de peles de animais, onde visons aflitos circulam agitadamente em apertadas jaulas de arame e muitos padecem de infeções ou pernas partidas ou malformadas. Alguns visons até se automutilam como resultado do confinamento intenso, roendo as suas próprias pernas ou caudas. No final das suas vidas miseráveis, os animais são sujeitos a uma morte por eletrocussão ou gás ou os seus pescoços são partidos. Apesar de tudo isto, a Sephora estava a comercializar estas pestanas de vison como sendo “isentas de crueldade”.

A PETA – cujo lema dita, em parte, que “os animais não são nossos para que os possamos vestir” e que se opõe ao especismo, uma visão de mundo de supremacia humana – insta a Velour e a Lilly Lashes, duas marcas que anteriormente forneciam as pestanas de vison à Sephora, para deixarem de comercializar peles de animais.

Para informações adicionais, por favor aceda a PETA.org.uk.

#