SEXTA-FEIRA MUNDIAL SEM PELE: A PETA OFERECE CONSELHOS PARA ASSEGURAR QUE A PELE É REALMENTE FALSA

 

Para publicação imediata:
21 de novembro de 2017

Contacto:
Sascha Camilli +44 (0) 20 7923 6244; [email protected]

SEXTA-FEIRA MUNDIAL SEM PELE: A PETA OFERECE CONSELHOS PARA ASSEGURAR QUE A PELE É REALMENTE FALSA
Por estar a aumentar a rotulagem de pele verdadeira como sendo falsa, o grupo oferece dicas e truques para evitar comprar vestuário produzido de forma desumana

Lisboa – Para a grande maioria dos consumidores de hoje, as peles verdadeiras são uma absoluta gaffe: marcas tais como a Hugo Boss, a Giorgio Armani e, recentemente, a Gucci eliminaram as peles das suas coleções e adicionaram os seus nomes à longa lista de marcas isentas de peles verdadeiras.

Visto a qualidade da pele sintética ter melhorado significativamente nos últimos anos, os tecidos amiúde têm um aspeto e um toque verdadeiro, sendo por vezes difícil os consumidores distinguirem entre o verdadeiro e o falso. O preço já não é um indicador de confiança, porque a pele verdadeira proveniente da China é cada vez mais erroneamente rotulada como sendo “sintética” no vestuário barato em todo o mundo.

De modo a ajudar os consumidores compassivos a assegurarem que aquilo que compram é, na realidade, isento de crueldade, a PETA criou um útil guia em vídeo apresentando dicas e truques fáceis para se distinguir entre as peles verdadeiras e as falsas.

Nesta Sexta-feira Mundial Sem Pele (24 de novembro), podem partilhar as seguintes dicas com os vossos leitores?

Abra o pelo, e observe a base.
O pelo falso normalmente tem por base uma tela de malha ou de tecido. Por outro lado, o pelo verdadeiro está agarrado à pele.

Observe as pontas dos pelos.
Pelos verdadeiros de animais são mais finos na ponta, a menos que tenham sido tosquiados ou cortados. O pelo falso, pelo contrário, tem normalmente uma extremidade plana. Portanto, se os pelos se afilarem nas pontas, jogue pelo seguro e deixe a peça na prateleira.

Se o item já for seu, realize um teste de queima.
Remova alguns pelos e utilize uma pinça para os segurar sobre uma superfície não-inflamável. Depois pegue-lhes fogo com um fosforo ou isqueiro. O pelo animal quando arde cheira a cabelo humano queimado. O pelo falso, amiúde feita de acrílico ou poliéster, cheira a plástico derretido quando é queimada.

Numa altura onde cada vez mais pessoas viram as costas aos materiais que não são eticamente produzidos, este guia ajuda os vossos leitores a selecionarem os itens que foram produzidos de forma humana quando forem às compras.

Para informações adicionais sobre compras isentas de crueldade, por favor aceda a PETA.org.uk.

#