Vídeo: Cavalos Chicoteados, Camelos Espancados No Setor De Turismo Do Egipto

 

Para publicação imediata:

15 de abril de 2019

Contacto:

Sascha Camilli +44 (0) 20 7923 6244; [email protected]

VÍDEO:CAVALOS CHICOTEADOS, CAMELOS ESPANCADOS NO SETOR DE TURISMO DO EGIPTO

A PETA apela à proibição de animais nos locais turísticos após a revelação de animais fracos e feridos serem obrigados a transportar turistas sob um sol escaldante

Lisboa – Uma nova investigação da PETA Ásia sobre os principais destinos turísticos do Egipto – incluindo a Grande Pirâmide de Gizé, Sacará e Luxor – revelou o terrível abuso de cavalos e camelos forçados a carregarem visitantes às costas ou em carruagens sob um sol escaldante, sem sombra, comida ou água. Testemunhas oculares também documentaram o espancamento de camelos no Mercado de Camelos de Birqash, antes destes serem vendidos para a indústria do turismo. Em resposta, a PETA apela à proibição da utilização de animais de trabalho nos destinos turísticos do país. 

Imagens de vídeo mostram tratadores em Gizé a bater violentamente numa égua que tinha caído no seu lado enquanto era forçada a puxar uma carruagem. Ela ficou gravemente ferida na queda, mas eles continuaram a espancá-la até que ela se levantasse. Muitos dos cavalos usados para passeios em Gizé e Luxor tinham dolorosas feridas abertas e eram obrigados a esperar sob o sol escaldante pelo próximo cliente – sem comida, água ou acesso à sombra. Cavalos emaciados com as costelas à mostra foram repetidamente puxados com força e chicoteados. E no notório Mercado de Camelos de Birqash, homens e crianças foram observados a agredirem violentamente camelos aterrorizados com paus. Muitos dos rostos dos animais estavam ensanguentados, e um camelo espumava pela boca.

“É vergonhoso que no Egito, animais exaustos e emaciados sejam espancados e chicoteados para darem um número sem fim de passeios ao calor, mesmo quando as suas pernas fraquejam e eles colapsam”, diz a diretora da PETA, Elisa Allen. “A PETA apela ao Ministério do Turismo egípcio que substitua esses animais maltratados por veículos modernos, como os riquexós elétricos, para que os turistas possam apreciar a rica história do país sem apoiar a crueldade para com os animais”.

A PETA – cujo lema dita, em parte, que “os animais não são nossos para que os possamos abusar em caso algum” – salienta que quando os camelos vendidos no mercado de Birqash já não são capazes de dar passeios nas pirâmides de Gizé e Sacará, eles são devolvidos ao mercado e enviados para abate.

A carta enviada pela PETA Ásia à ministra do turismo, Rania Al-Mashat, será disponibilizada a pedido.

Para informações adicionais, por favor, visite PETA.org.uk.

#